moscas volantes

by calvin voichicoski

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
03:12
2.
3.
4.
02:12
5.
6.
7.
03:01

about

2017

gravado, mixado e masterizado por calvin voichicoski entre outubro de 2016 e julho de 2017 em santos e são bernardo do campo - sp

capa por giulia caselato - 127mg.tumblr.com

para a giulia, pra sempre

agradecimentos especiais: giulia caselato, jp oreggia, marcus vinicius e o estúdio g em santos, cassiano carduz, gabriel eliott garcia, lucas reis, carlos dias, leonardo barbosa, renan gottardo, guilherme frança, matheus antônio, lucas silva, vinícius mendes, lixo records e toda a pqv.

credits

released August 8, 2017

baterias nas faixas 4, 5 e 6 por jp oreggia
bateria no fim da faixa 4 por marcus vinicius

tags

license

all rights reserved

about

calvin voichicoski São Paulo, Brazil

YE

contact / help

Contact calvin voichicoski

Streaming and
Download help

Redeem code

Track Name: pavimento
o pavimento não aguenta
os brutos passos de quem veio
não há ninguém em meu lugar
não há motivos pra receio

das nuvens
que cegam
não chove mais
nas fotos
sem foco
dos nossos pais

cheirando a lixo hospitalar
ela levanta de seu leito
já tem alguém em meu lugar
todo momento é receio

os corredores já abafam
suas palavras de anseio
a sua voz é tão ruim
e não existe mais recreio
Track Name: caneta retroprojetor
todos os dias que passamos ali
todas as noites tentando desistir
as novas folhas que permeiam o chão
das velhas árvores que nunca verão


não via a hora de
poder tentar sair
ao mundo e se sentir
pior

a tinta-ovo na parede e na luz
a cor opaca a manchar meu capuz
o velho pátio no outono, seu lar
tentava ouvir pra ter o que ignorar


não via a hora de
poder tentar voltar
à sala que julgou
pior

o interfone, inimigo, à tocar
e só escombros do mal tempo por vir
naquele dia ninguém soube voltar
ninguém ouviu os seus motivos pra ir
Track Name: raso (montra)
as sombras dos pinheiros na estrada não escondem mais
o que você quer não lembrar:

as datas anotadas nas sessões mais magras dos jornais,
amigos e seus funerais

me sinto numa montra:
pronto pra poder tentar vender
aquilo tudo que eu não sou

uma pessoa pronta
em frente do que nunca quis saber;
outros tempos

meus medos se derramam pelas rachaduras ao jardim
é tudo que sobrou de mim:

todos os ataques que eu já tive
e por todos que vou ter
eu só quis me desculpar
Track Name: gargalo
tudo o que começa
antes da janela
tende a apodrecer
não têm mais saídas;
não têm mais motivos;
só há o que fazer

mas ninguém chega
porque ninguém vê
atrás da casa
atrás de você
é tudo longe demais

esses prédios todos
sempre foram feitos
pra morrer aqui
todo o novo é velho
e o que é velho vive;
é como tem de ser

mas ninguém liga
porque ninguém vê
atrás da casa
atrás de você
é tudo longe demais
Track Name: caixa d’água
moscas volantes nos meus olhos
me fazem esquecer, não ver o fogo que queima em vocês,

as sombras mortas das memórias do tempo que passou,
o pouco tempo em que tudo era bom:

tapetes persas pendurados na sala de jantar
só esperando o seu tempo acabar


luzes agudas me perfuram os olhos, eu já sei
que o caminho de volta não tem fim

todo esse asfalto se afunda
nos vãos de puro breu
e só consigo me ver no que é seu

a sua caixa d’água nunca funcionou;
ela nunca funcionou
Track Name: meu céu da boca está sangrando e eu tenho medo
meu céu da boca está sangrando e eu tenho medo
de suas respostas violentas pra qualquer segredo

meus olhos já a definhar e o meu corpo segue
na fina linha que separa o amanhã do breve

segue a ver buracos na calçada que se deita ao meio-fio
(toda estrada cheira a morte, em qualquer meio de transporte)
conta pedras e hidrantes, não vê outro caminho pra chegar
(é tudo tão constante, o tempo inteiro tão constante)

seu céu da boca está em chamas e não vê motivos
mastiga areia, água e sal e cospe puro vidro

os nossos pés estão atados a um empecilho:
saber andar nessas subidas tortas sem destino
Track Name: marapé
vamos
tentar
ver o céu;
andar
sem ter
pra onde ir

do seu lado
só me sinto

como se
eu
pudesse
ser alguém melhor

eu nunca quis estar
em nenhum outro lugar
senão aqui

o cheiro das manhãs
a luz no seu colchão

do seu lado
só me sinto

como se
eu
pudesse ser
alguém melhor